domingo, fevereiro 04, 2007

Assim... oficialmente virulenta


Em dezanove anos de existência, nunca tinha ido ao hospital por causa de uma gripe, nem sequer por causa de nada. À excepção de umas esporádicas cólicas de pré-adolescente. Contudo, aconteceu esta madrugada estrear-me nessas andanças.
Ah e tal, o que tu tens é uma brutal gripe, com direito a garganta inflamada e quarenta graus de febre. Foram mais ou menos estas as palavras do senhor doutor, ditas com nítida expressão facial e olhar ameaçador, de quem estava a passar pelas brasas e eu fui indecentemente interromper. Se não fosse ser má educação, acho que tinha ouvido das boas. Valha-me a educação, então. Adiante. Pensava eu que o vírus não queria nada comigo porque, na verdade, nunca tivemos grande afinidade, mas este ano o tipo deve ter mudado de ideias.
O senhor do estetoscópio, que por acaso até era o meu médico de família, lá me mandou fazer respirações ritmadas intensas, tirar a língua numa direcção pouca definida para um farol ser projectado na minha cavidade bocal. O homem parecia aqueles guardas nocturnos que rebuscam não sei muito bem o quê, mas como eles também não sabem, não há crise. Bom, depois lá conclui que sim senhor era caso para receitar antibiótico, xarope e Aspegic. Pois claro, qual mel e xarope de cenoura. Quem não quiser ter o título de virulenta, tem de atacar o “bicho” com toda a artilharia possível.
Agora com este arsenal de medicamentos, algum me há-de fazer efeito. Pelo menos assim espero. Se não, dias difíceis se afiguram e é capaz de ser chatinho! Mas como há sempre um lado positivo da questão, amanhã faço gazeta à escola. Aliás, vai ser a primeira vez na vida que vou faltar à escola por estar doente. Não sou muito disso, mas lá calhou.
De facto, há estreias para tudo.

2 comentários:

atalmijinha disse...

tu arrnajar amigos em tdo o sitio, té entre as doenças. Desejo-te as melhoras e espero k não fiques traumatizada com a tua experiencia medica!!! ADRT!!!

Samuel Gilberto disse...

é pah cum catano, os médicos exageram bué nas cenas! matam tudo! Sim, sim, as bactérias e vírus desaparecem logo, pena que os glóbulos brancos também vão pelo autoclismo... enfim, abriu-se uma estrada ao próximo vírus. depois, abrimos uma autoestrada sem portagem e, claro, até se pode abrir um aeroporto ou até uma plataforma lançadora de foguetões. enfim, mais medicamentos, menos saúde. eu vou pelo chá e xarope se cenoura. não há nada melhor do que sentir que o nosso corpo se livra dos invasores sozinho... mas claro, se é grave, trata-se com medicamentos, também eles, graves... isto era só pa dizer k n gosto nada de medicamentos. lol. bjs