terça-feira, dezembro 20, 2005

Cativos ou cativantes?


Penso que é irrefutável que nos dias de. hoje o machismo seja algo completamente descabido. Porém, muitas vezes são as mulheres que se humilham a si mesmas, ao deixar esta situação ser uma monotonia. Por complexo, medo, cobardia, e toda uma série de motivos disparatados.
Acho profundamente asqueroso e indescritível uma mulher ser vista como aquela que se deve limitar a ser explorada pelas lides domésticas e pelo Sr. marido, essa imagem intocável e proveniente de uma divindade à qual a esposa, mera escrava de sua majestade, foi feita para assumir uma atitude de vassalagem e prostração perante o tapete vermelho del rei, o machão. A falta de respeito mútuo chega a ser tão grave que camufla casos extra conjugais a título de masculinidade. Assim sendo, esta designação não será a mais correcta visto que perante esta atitude não se consegue definir muito bem a classe que ocupam. Isto porque as pessoas têm no mínimo consciência, e os animais ao menos uma vez na vida têm uma postura ternurenta perante a sua parceira, ainda que esta seja fugaz. Estes sumo-sacerdotes assumem-se como entidades completamente independentes, mas são risíveis ao contradizerem-se, pois a mamã tem de andar sempre por perto, a fazer a comidinha, a passar a roupinha. E então onde fica toda a vossa autonomia, nas saias da mamã?!
A culpa disto não é exclusiva dos indivíduos que agem desta forma, é também um pouco da gente que lhes dá educação e que se coaduna com estas posturas insensatas. Apetece dar um abanão a certas mães e mesmo pais para as fazer ver que de todo não estão a ter a melhor postura e, quando estes lhes faltarem, vão ser uns inadaptados, porque convenhamos hoje em dia nenhuma mulher se presta a estas torturas.
Porque é que não se vê de igual para igual uma bebedeira de um homem e de uma mulher?! Ah já me esquecia, é porque uma mulher que se preze tem de estar sempre de sorriso rasgado e pronta a acatar ordens e a viver em função dele e só dele, jamais dela. Esquecem-se é que o tempo da avozinha já lá vai e como ele tipo de preconceitos, pelo menos supostamente.
Em suma, apesar destes casos lamentáveis, como não há regra sem excepção ainda se vão encontrando, se se procurar muito bem, certos rapazes de muito mérito a quem isto não se aplica. Bem-haja a eles e a quem lhes explicou que a vida não é para fazer os outros de seus cativos, mas para os cativar.

2 comentários:

Anônimo disse...

Bem, sobre este artigo havia muita e muita coisa a dizer!!!!
Esta simplesmente Genial!!!!
Para alem de estar mt bem redigido, tem uma imagem perfeita q se adequa na perfeição ao conteudo do texto!!!!
A Linguagem usada transparec muita maturidade para uma menina de 18 anos!!!!
Parabens!!!!!
Aliás, muitos Parebens!!!!!
Esta digno de um artigo de uma coluna de Opinão num dos melhores Jornais!!!!
Continua assim

Dani disse...

auihhhhhhh
muito a frente este artigo. Muito bem redigido, no entanto acrescentaria o seguinte: concordo contigo quando dizes que ainda há muito machismo hoje em dia. Basta ver o pessoal que concorre aos empregos, se for preciso as esmpresas preferem um homem a uma mulher, só porque esta pode vir a ter filhos. E para além disso um gajo que coma mil e umas gajas é um garanhão... enquanto que uma gaja que coma mil e um gajos é uma p***. Resumindo um conselho pras gajas que estejam a pensar numa relação, conheçam bem essa pessoa nao andem cm ele só porque ele e todo bom ou porque a amiga tal diz que ele é lindo... tem de ser uma decisao da propria pessoa... detesto pitas sem personalidade.
Beijocas continua os bons posts