segunda-feira, março 20, 2006

Será?

Porquê?! Porque é que as coisas têm de ser tão complicadas? Bem, provavelmente até nem são. Não sei. Mas também pouco importa. As pessoas têm a mania de negar as evidências e depois ficam sentidas quando estas se esfumam como nevoeiro. Haveria muito mais a dizer. Há sempre mais a dizer e sobretudo há sempre muito mais que fica por ser dito, por inibição ou não, mas a verdade é que fica. Essas palavras acabam por fazer falta, terrivelmente falta. O que interessa se foram arquitectadas? O que importa é que não foram proferidas. As coisas valem o que são, não o que foram na sua concepção, ou que poderiam ter sido.
As grandes obras são valorizadas porque foram lançadas para a humanidade, enquanto que se ficassem em fase de rascunho, não seriam mais do que meras utopias… como muita coisa na vida, ou então não… ;)

Um comentário:

R.B.M. disse...

gostei deste teu post, tt pk é uma tema k mt me tem "assombrado" e sobre o qual tb ate tenho, curiosamente, escrito...as palavras existem para serem ditas. Mas para serem ditas com sentimento, com reflexão...falar por falar não vale a pena, destruia-se entao outra coisa que bem utilizada também vale ouro:o silêncio. Sendo assim, acho que tem de haver um equilibrio como tudo na vida, as pessoas t~em de ter a noçao do k é para ser partilhado e daquilo que pelo contrário deve ficar guardado no seu intimo. Mesmo que fosse lindo para ser partilhado.