domingo, outubro 15, 2006

Modos

Não sei as pessoas olham para mim e pensam: “Bem, e o que é que vamos oferecer à Sara? Um livro pois claro!”. Outra coisa que não sei é se tenho um ar pseudo-intelectual ou, com um bocadinho de boa vontade, intelectual por inteiro. Apenas sei que me costumam oferecer livros. Alguns livros. Antes de os começar a ler, vou sempre à contracapa “ouvir” de sua justiça. Quando o veredicto me parece interessante, começo a ler as primeiras linhas e, por vezes, acabo por as ler até ao fim. Há histórias que devoro em dias consecutivos e outras que deixo hibernar por um tempo incerto.
Confesso que até gosto de ler. Mas não muito. Isto não acontece só com a leitura, pois não gosto de levar as coisas ao extremo nem de as repetir vezes sem conta. Gosto mais de escrever do que ler, é verdade. O motivo é simples. Enquanto leio, vou-me engasgando de uma série de coisas, mas ao escrever desengasgo-me de outras ao mesmo tempo que aprendo a não repetir o mesmo modo de engasgamento. As palavras soltam-se e não as entranho.

Um comentário:

Chiqueiro disse...

Cara,avida é dura!!!Não se perca:-))